"Renuncie aos desejos e encontrars o que seu corao deseja" (So Joo da Cruz).
Sobre mim

"Cristo meu nome e Catlico meu sobrenome. Um me designa, enquanto o outro me especifica. Um me distingue, o outro me designa. por este sobrenome que nosso povo distinguido dos que so chamados herticos" (So Paciano de Barcelona).

Regina Caeli
(Rainha do Cu)


Rogai por ns!

Link-me



Igreja Catlica Apostlica Romana

A Igreja de Cristo forte e mesmo que um milho de inimigos se levantem contra ela, outros tantos, homens de vossa dextra poderosa sero suscitados para combater as heresias e guardar a f inviolada da Madre Igreja Una, Santa, Catlica e Apostlica.

Santo Elias


Padroeiro do Blog!

Goodies

Ilustradores de post
Plaquinhas

Papa Bento XVI


"E eu te declaro: tu s Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno no prevalecero contra ela" (Mat 16, 18).

Arquivos

A Igreja Catlica e a cincia I
A Igreja Catlica e a cincia II
Cristo na Eucarstia
Cruz de Jesus Cristo
Gnero: o que isso?
Intolerncia catlica
Matrimnio cristo
Mitos sobre a Igreja Catlica I
Mitos sobre a Igreja Catlica II
Modstia no vestir
O caso Galileu
Os dez mandamentos
Padres pioneiros cientficos I
Padres pioneiros cientficos II
Primado de Pedro
Santa Missa
Sem sacrifcios?

Defesa da Vida

Clique

Vdeos

Antropotesmo
Conclio Vaticano II
Devoo Santssima Virgem
Evolucionismo
Existncia de Deus
Histria da Igreja Catlica
Idade Mdia
Liberalismo
Orao Mental
Romantismo
Sacrifcio da Missa

Santa Joana dArc


Padroeira do Blog!

Artigos

Conclio Vaticano II
Feminismo e marxismo
Iluminismo
Martinho Lutero
Nova Missa
O primado do papa
Protestantismo II
Pureza
Santo Rosrio
Sensualidade

Award



Linkage

A Grande Guerra + Caifarsa + Montfort + So Pio V

Crditos e Etc

Dirio da Tati


Igreja e cincia II

Continuaremos o segundo episódio sobre as influências e relações da Igreja com as ciências, referente a série apresentada pelo professor Thomas Woods na EWTN.

Na Escola Catedrática de Chartres, na França (escola que funcionava junto à Catedral, teve seu auge no século XII), estudiosos disseram baseando-se no livro de Sabedoria (11, 21) que se quisermos entender o universo, seu funcionamento e prever como se comportará no futuro, devemos entendê-lo quantitativamente, isto é, através da matemática. O que é uma ideia extraordinariamente moderna! Como a Escola Catedrática difundiu essa ideia amplamente, ela está cada vez mais ganhando crédito por ter ajudado a lançar a revolução científica, séculos antes de ela ter iniciado, no século XVII.

Além disso, os acadêmicos de Chartres davam como certo que Deus era ordenado e que havia inscrito leis naturais no mundo, e que, se quisermos entender como o mundo funciona, devemos usar primeiro nossa razão natural. E só quando nossa razão natural entra em colapso é que estamos diante de um milagre, de algo sobrenatural, aí referimos isso a Deus.

Mas, os acadêmicos de Chartres estavam convencidos que Deus nos deu nossa razão, por uma razão. Temos a habilidade de pensar e de construir conclusões e relações de causa e efeito. Por que Deus nos deu esse fato se não é para usá-lo? Nós nos tornamos verdadeiros seres humanos somente quando usamos o dom distinto que só os seres humanos possuem, que é a razão.

Um acadêmico de Chartres afirmou: "É através da razão que somos homens, pois se virássemos nossas costas à fantástica beleza racional do universo em que vivemos, deveríamos merecer ser retirados dele, como um hóspede desdenhoso da casa onde foi recebido." Um outro acadêmico dizia: "Eu nada tiro de Deus. Ele é o autor de todas as coisas, exceto do mal. Mas a natureza com que ele dotou suas criaturas executa todo um esquema de operações, e estas também se voltam à sua glória, uma vez que foi Ele quem criou esta mesma natureza." Quer dizer, que Deus nos criou com uma natureza racional e que lhe damos glória quando apelamos àquela natureza racional.

Mas, isso é bem contrário ao que ouvimos falar da Igreja Católica, não é? Acredito que a maioria das pessoas, ainda está sob a crença de que a Igreja ensinava que não devemos usar a razão, que a razão é de algum modo enganosa ou algo a ser desprezado. Porém, como vimos, escolas importantes da Idade Média afirmavam, que devemos usar a razão se queremos entender como o universo funciona. É por isso, que Isaac Newton era tão impressionante para as pessoas do século XVIII, quando com uma única equação ele pôde dar conta de todo o movimento do universo. Isaac Newton, estava apenas fazendo frutificar a missão que a Escola Catedrática de Chartres deu aos acadêmicos e cientistas do Ocidente.

Isaac Newton mostrou que as mesmas leis de movimento estão em ação nos céus e na Terra. Porém, quem realmente começou a pensar isso pela primeira vez foi Teodorico de Chartres, outro acadêmico da Escola Catedrática, no século XII. Teodorico, dizia que, o que se tem no universo e no espaço exterior são coisas que são compostas do mesmo tipo de matéria que nós temos aqui na Terra, porém, ele não conseguiu explicar por que as coisas orbitavam, não pôde antecipar as leis de movimento de Newton. Mas, por dizer que as coisas lá de cima, não são fundamentalmente diferentes das coisas daqui de baixo, ele pavimentou o caminho para uma conclusão central da ciência moderna.

Thomas Goldstein é um historiador recente da história da ciência. Sobre a Escola Catedrática de Chartres, ele diz: "Em um período de quinze a vinte anos, em meados do século XII, um punhado de homens estava conscientemente empenhando-se para lançar a evolução da ciência ocidental, e empreendeu todo passo significativo que era necessário para alcançar aquele fim."  Thomas Goldstein chegou a dizer que um dia Teodorico de Chartres será visto como um dos grandes fundadores da ciência moderna.

No próximo post veremos padres que foram grandes pioneiros científicos.



Por Dia || 14h16  ||